##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

José Francalino VITAL Germán Augusto MURRIETA-MOREY Natália Brandão PEREIRA José Celso de Oliveira MALTA

Resumen

O presente estudo investiga a presença de diplostomídeos parasitas em dois peixes curimatídeos, Potamorhina latior e Potamorhina pristigaster, além de listar todos os peixes reportados como hospedeiros para Austrodiplostomum compactum na Amazônia brasileira. Os peixes foram coletados em oito lagos de várzea do rio Solimões, no período de fevereiro de 2013 a dezembro de 2015. Foram analisados cem indivíduos de P. latior e sessenta e nove indivíduos de P. pristigaster, nos quais foram encontrados nos olhos dois espécimes de A. compactum em P. latior e apenas um espécime em P. pristigaster. Com os novos registros um total de oito espécies de peixes são citadas como hospedeiras para A. compactum na Amazônia brasileira incluindo Acestrorhynchus falcirostris, Cichla monoculus, Plagioscion squamosissimus Pterygoplichthys pardalis e Pygocentrus nattereri. As infecções ocorrem em diferentes órgãos: brânquias, musculatura, mesentério, olhos, gônadas, cavidade visceral e rins. Verifica-se que A. compactum apresenta baixa especificidade pelos hospedeiros e estima-se que os baixos índices parasitários associados a amostras de pequeno tamanho subestimem as diversas outras espécies de peixes amazônicos que albergam estes diplostomídeos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Palabras clave
Austrodiplostomum; Diplostomidae; lagos de várzea; parasitos de peixes